terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Cuidado, drogas na sua cozinha!

Quando você poderia imaginar que os temperos da macarronada, a inocente banana e a exótica noz-moscada iriam possuir substâncias que de alguma forma podem resultar num “grande barato”?

A sálvia que vem temperando pratos de macarrão a séculos, tem sido considerada como “a nova maconha”. É isso mesmo! Jovens americanos estão fumando ou mascando a erva em busca de uma suposta sensação de paz, conexão espiritual e produção descontrolada de gargalhadas.

Pois bem, a banana também possui seus “mistérios”. Ela é rica em triptofano, uma substância que é precursora da serotonina (um dos mensageiros químicos do cérebro) e saibam que os remédios que muitas pessoas usam contra a depressão ou drogas “recreativas” (LSD, êxtase, e outros), agem justamente sobre os sistemas afetados pela serotonina no nosso cérebro. Mas felizmente tanto nosso intestino quanto o fígado estão equipados com substâncias especialmente projetadas para evitar que a banana faça sua mágica com o cérebro. Ahhh! Que bom!

Ainda temos a noz-moscada que possui princípios psicoativos capazes de inibir as substâncias que degradam os neurotransmissores, causando um excesso deles atuando sobre os neurônios. Isso resulta distorções na visão e uma sensação de euforia.

Agora uma curiosidades do mundo animal : Os elefantes africanos esperam que os frutos da marula (árvore africana que inspirou aquele licor, o Amarula) fiquem muito maduros antes de consumi-los, pois com a fermentação os frutos produzem álcool, levando os elefantinhos a agir exatamente como humanos bêbados. Que safadinhos!

Por sorte, é muito difícil ficar doidão simplesmente ingerindo esses alimentos, embora formas mais específicas de uso possam equivaler aos efeitos de drogas mais “tradicionais”.

Fonte: diariodebiologia.com

1 comentários:

Augusto Bortolini disse...

Salvia é a "nova maconha"? É um engano e isso não tem nada de novo. Use, rapaz, e sinta.

3 de fevereiro de 2009 12:25

Postar um comentário